Como é feita a enxertia de gordura nos glúteos?

Quando realizamos uma lipoaspiração, a gordura que é retirada pode ser aproveitada e colocada como enxerto em outra região. Esse procedimento é conhecido como enxertia de gordura, lipoenxertia ou lipoescultura.

De que forma é realizada a enxertia de gordura nos glúteos?

Em um primeiro momento, é realizada a lipoaspiração, na qual o excesso de gordura localizada é aspirado através de cânulas que vão de 2 a 5 mm de diâmetro. Essa gordura aspirada recebe um tratamento, na qual é lavada com soro fisiológico, e depois decantada, para ser separado o tecido adiposo do soro fisiológico e do sangue. Apenas a porção aspirada de tecido adiposo, que, geralmente, corresponde a um terço do total aspirado, que é aproveitada para a enxertia.

Depois de preparada, essa gordura é reintroduzida na área a ser tratada, sempre no plano abaixo da pele, com o uso de cânulas especiais para enxertia. Nem toda a gordura enxertada depois é integrada definitivamente ao tecido subcutâneo, sempre existindo absorção de parte dela, podendo chegar a 30% conforme a literatura.

As principais áreas que podem ser tratadas com a enxertia de gordura são a região glútea, sulcos e rugas na face, cicatrizes deprimidas e no refinamento e simetrização de cirurgias para reconstrução das mamas.

Com a enxertia de gordura na região glútea, associada a uma lipoaspiração na região dos flancos dorso e culotes, é possível uma melhora no contorno corporal e no formato dos glúteos, e, até mesmo, um certo aumento dos glúteos. Entretanto, para aumentos maiores, é necessário a inclusão de prótese glútea, o que geralmente é associado à lipoaspiração e lipoenxertia para um melhor resultado.

Onde realizar o procedimento?

Por ser uma cirurgia de médio porte, a lipoaspiração com lipoenxertia deve ser realizada em ambiente hospitalar, dentro do centro cirúrgico, sob os cuidados anestésicos e com monitorização e hidratação adequados para uma maior segurança do paciente. O tempo de cirurgia varia de acordo com o tamanho da área a ser tratada, podendo variar de 1 a 3 horas, e a alta costuma ser no dia seguinte ao da cirurgia.

É recomendado o afastamento das atividades e repouso por 2 semanas. A realização de atividades físicas mais intensas é liberada após 4 semanas da cirurgia.

É importante lembrar que a lipoaspiração e a lipoenxertia trazem bons resultados para o tratamento de gordura localizada em pacientes que estão no seu limite de peso, não sendo assim um substituto para o emagrecimento.

A lipoaspiração isolada não está indicada para pacientes que, além do excesso de gordura localizada, possuem um excesso de pele. Nesses casos, é necessário um segundo procedimento para retirada desse excesso de pele. Se o excesso de pele for pequeno, é indicada uma miniabdominoplastia associada à lipoaspiração. No entanto, nos casos em que o excesso de pele é de moderado a grande, é indicada a abdominoplastia.

Já pacientes com um excesso muito grande de tecido adiposo, geralmente com um excesso grande de peso, não se beneficiam muito da lipoaspiração e possuem grande risco de complicações. Nesses casos, é recomendado primeiro a perda do peso, para depois ser realizada a cirurgia, tendo assim uma maior segurança e melhores resultados.

Enxerto de gordura deve ser feito por médico qualificado

Para ter sucesso no enxerto de gordura, é importante procurar um médico experiente e qualificado. Para isso, conte com o Dr. Luís Cláudio Abrahão Barbosa, médico cirurgião plástico no Rio de Janeiro. Atendendo na Barra da Tijuca e no Méier, o Dr. Luís Cláudio Abrahão Barbosa participa anualmente de congressos e cursos médicos. Isso porque deseja se manter atualizado e possibilitar maior qualidade e segurança no atendimento aos pacientes. Entre em contato e marque sua consulta!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *